sexta-feira, 5 de setembro de 2014

O último segundo antes da mudança, onde tudo acontece

Na vida de todos nós vão se acumulando uma sucessão destes últimos segundos. 

Um pouquinho antes não há qualquer sinal da mudança que virá, alguns momentos depois a nossa vida passa para uma outra fase.

Nem sempre podemos perceber que há alguma coisa ou fato que vai mudar a nossa vida a um segundo do momento em que a coisa vai acontecer.

Por vezes a percepção de que tudo vai mudar demora nos atingir.. Poucas vezes percebemos o efeito da decisão, ou do fato acontecido alguns segundos atrás.

Exemplos ilustram bem estes momentos:

Soube numa visita ao Itamaraty no Rio no dia 25 de agosto de 1961 que o presidente Jânio Quadros havia renunciado poucos minutos antes em Brasília.

De 1961 até 2014 tudo que nos aconteceu como país, como profissionais, como pais de família, como estudantes, como cidadãos foi afetado pelo gesto inesperado de um político inesperado. Imprevisível  para todos.

Na vida pessoal não cito qualquer exemplo, pois todos podemos lembrar quantos foram estes momentos particulares . E seus os efeitos sobre as nossas vidas.

A busca incessante de certezas

Pessoas que foram reconhecidas como capazes de prever o futuro - a começar por Nostradamus - abriram espaço para uma infinidade de magos, magas, astrólogos, religiosos, pesquisadores a que damos atenção todos os dias.

Mesmo os menos crentes nestes previsores não deixam de bater na madeira quando dizem algo que poderia prejudicar o futuro desejado.

Muito menos falar sobre possíveis sucessos e temidas falhas porque  estas coisas não ajudam a realização nem o sucesso do que é desejado.

As incertezas são muito mais importantes do que as nossas certezas. 


Diante da imprevisibilidade em que vivemos as incertezas alimentam a nossa esperança. Pois quando não há esperançadeixa de existir a maior razão para viver a vida.

Todos sabemos da limitação de nossos anos de vida. E todos sabemos pela simples observação que a qualquer momento vamos deixar a vida. E talvez cair numa certeza definitiva.

O que poderia ser visto como um paraíso pode ser visto também como a mais perfeita representação do inferno.

Se isto ocorrer passaremos a enfrentar a eternidade destituídos de esperança.

E a perda da esperança neste raciocínio é eternamente pior do que não sermos vivos.

E daí?

Qualquer momento pode ser o seu momento de mudanças radicais que podem ser entendidas como coisa sem importância, desde a dor no peito que logo passa, ao abandono de uma família, ou de um emprego.

E a única fonte de referência absolutamente confiável é a sua cabeça.

Viu, ouviu, percebeu o que está acontecendo jamais deixe de analisar o que acontece.

Deixar no modo automático, é deixar de lado a sua maior virtude: decidir - por vezes com um trabalho danado -  como você tão pequeno diante de um mundo imenso tem a última palavra.

E não há ninguém melhor do que você para dar esta palavra. 

O primeiro passo para reforçar a sua confiança é lembrar o que fez diante deste último segundo antes das mudanças.

Garanto que os erros e acertos passados terão as mesmas características dos erros e acertos futuros.

Você tem a última palavra!

2 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Estive a ver e ler algumas coisas, não li muito, porque espero voltar mais algumas vezes,mas deu para ver a sua dedicação e sempre a prendemos ao ler blogs como o seu. Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante, e se desejar deixe um comentário. Abraço fraterno.António.

Pio Borges da Cunha disse...

Antonio,não pude responder o seu comentário e hoje ao fazer uma visita a posts passados sinto que perdi uma oportunidade "imperdível".
Vou achar você e comentar. Obrigado pelas palavras encorajadoras.
Abraços

Pio